Arquivo da tag: escola de engenharia

EVINCI

(texto publicado originalmente no site do evento)

O Evento de Iniciação Científica do Centro Universitário Autônomo do Brasil, EVINCI – UniBrasil, será realizado entre os dias 19 a 23 de outubro de 2015 concomitantemente ao XII Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT – 2015) que é coordenada pela Secretaria Nacional de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

A ideia é unir o Centro Universitário Autônomo do Brasil às 560 instituições de ensino e pesquisa envolvidas na semana da ciência. Na edição do ano de 2015 o trabalho terá como objetivo integrar todas as escolas e faculdades do Centro Universitário ao Evento de Iniciação Científica que buscará instaurar uma semana de mostra de pesquisa científica, tecnológica e artística com diversas atividades práticas e teóricas abertas para toda comunidade.

Para o EVINCI serão realizadas as seguintes modalidades de atividades: conferência, mesa-redonda, palestra, audiência, curso, mini-curso, oficina, workshop, simulado, lançamento de livro, comunicação científica e apresentação de painéis.

Os textos produzidos para a discussão serão publicados em dois documentos: o primeiro será oCaderno de Resumos apresentados no Evento de Iniciação Científica do Centro Universitário Autônomo do Brasil.

Após o evento o segundo será publicado na versão eletrônica dos Anais do Evento de Iniciação Científica do Centro Universitário Autônomo do Brasil com ISSN. Os trabalhos poderão ser inscritos nas seguintes modalidades:

1) Resumo simples;
2) Resumo Expandido;
3) Artigo científico.

Poderão ser apresentados em: Palestras, Comunicações Científicas e Exposição de Painel (Banner). Ademais, serão realizadas reuniões de pesquisa e workshops de discussão sobre as mais recentes propostas de investigação dos grupos de estudo e projetos de pesquisa institucionalizados.

Também será objetivo do evento a promoção de trabalhos científicos que envolvam pesquisa científica com foco nos temas desenvolvidos nas linhas de pesquisa centrais dos respectivos programas de pós-graduação stricto sensu do UniBrasil e das demais instituições, grupos e redes convidadas.

Finalmente, procurar-se-á contemplar como resultado da atividade a maior integração entre os programas de pós-graduação e graduação com seus respectivos grupos de pesquisa, incrementando o diálogo acadêmico e o intercâmbio de experiências educacionais que possam, efetivamente, influenciar a práxis acadêmica para o desenvolvimento da educação superior e da pesquisa científico.

Em caso de dúvidas, enviar e-mail para: civil@unibrasil.com.br

banner

Ciência sem Fronteiras

O Programa Ciência sem Fronteiras – CsF – tem o objetivo de promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional.

A Bolsa Graduação Sanduíche no Exterior da CAPES destina-se a alunos de graduação para a realização de estudos e estágios em universidades da América do Norte Europa e Ásia com bolsas CAPES/CNPq.

O aluno de graduação nas áreas prioritárias ou correlatas recebe uma bolsa de estudos, além das passagens, auxílio instalação e seguro saúde, para cumprir programa de mobilidade.

A ida dos estudantes terá início a partir de julho de 2014. Caberá a CAPES/CNPq escolher a universidade de destino do candidato, de acordo com a área de estudo e dentro da oferta de vagas estabelecidas pelas instituições com as quais a CAPES/CNPq estabeleceu parceria acadêmica.

Para mais informações, acesse: Edital CsF -Unibrasil

Palestra Inovatec System

Acontece amanhã, dia 21/08, as 19h00, a palestra sobre o sistema construtivo Inovatec System, utilizado pela Inepar Triunfo, empresa que atua no mercado como empreendedora, construtora, fornecedora e parceira de construtoras. 

triunfo

Atualmente, a Inepar utiliza com exclusividade no Brasil a tecnologia Inovatec System, que utiliza para a execução de paredes painéis estruturais monolíticos de poliuretano com densidade de 35kg/m³ a 45kg/m³, revestidos em ambas as faces com compósito reforçado com fibra de vidro.

painel

A consolidação dos painéis que conformam as paredes é providenciada por meio de
colagem aos perfis pultrudados tipo U (perfis estruturais constituídos por resina líquida e fibra de vidro como reforço. A fabricação se dá por meio de sistema de pultrusão), os quais são fixados na fundação por meio de parafusos metálicos do tipo “parabolt”.

perfilU

A conexão entre os painéis de parede e respectivos complementos (oitões) é viabilizada por meio de colagem a perfis pultrudados tipo H.

O fechamento da unidade residencial é realizado por meio de cobertura em duas águas, composta pelo mesmo tipo de painel que constitui as paredes, colados com adesivo a base de resina epóxi.

As paredes internas, face interna das paredes externas e face interna dos painéis de cobertura, com exceção daquelas que constituem o banheiro e a cozinha, são revestidas com placas de gesso acartonado do tipo resistente ao fogo (RF), fixadas por meio de parafusos metálicos.

As faces internas das paredes do banheiro e cozinha são revestidas com placas cerâmicas assentadas diretamente sobre o painel com auxílio de argamassa industrializada do tipo ACII.

O acabamento final das paredes internas (exceto aquelas que receberam revestimento
com placas cerâmicas) é realizado por meio de aplicação de pintura de base acrílica.

O sistema pode ser utilizado para construir casas térreas, sem a possibilidade de ampliação vertical da unidade, apenas horizontal.

O palestrante é o arquiteto Newton Fernando de Oliveira, que tem no seu currículo projetos como o Aeroporto de Florianópolis e o Terminal de Carga e Descarga da Infraero.

A palestra será realizada no Auditório do Bloco 4 e vale atividade complementar.

802CIV – Física I

Disciplina 802CIV

Carga Horário: 80h

EMENTA DA DISCIPLINA

PRIMEIRO BIMESTRE

– Medidas e sistemas de unidades.

– Laboratório: Instrumentos de medidas. Erros e gráficos

– Movimento em uma, duas e três dimensões.

– Leis de Newton.


SEGUNDO BIMESTRE

– Colisões e Sistemas de partículas e conservação de momento

– Cinemática e dinâmica das rotações

– Trabalho e energia e Conservação de energia

– Equilíbrio

– Experimentos envolvendo conceitos de cinemática, dinâmica, energia, momento linear e rotações.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

HALLIDAY, David; RESNICK, Robert; WALKER, Jearl. Fundamentos de física. Tradução de José Paulo Soares de Azevedo. 6. ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 2002. ISBN 8521613032.

TIPLER, Paul A.; MOSCA, Gene. Física para cientistas e engenheiros. Vol. 1 Tradução de Paulo Machado Mors. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2012. ISBN 9788521617105.

YOUNG, Freedman, Física I – Mecânica. 10a ed. : Editora Person.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ALONSO, Marcelo; FINN, Edward J. Física: um curso universitário: mecânica. Tradução de Mário A. Guimarães et al. 2. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2003. v. 1. 481 p., il., 21cm. ISBN 8521200382.

FEYNMAN, Richard P.; LEIGHTON, Robert B.; SANDS, Matthew. Feynman. Lições de física. Tradução de Adriana Válio Roque da Silva. 1. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009. ISBN 9788577802555.

KELLER, Frederick J.; GETTYS, W. Edward; SKOVE, Malcom J. Física. Tradução de Alfredo Alves de Farias. 1. ed. São Paulo: Pearson Education, 2004. v. 1. 605 p., 27cm. ISBN 8534605424.

NUSSENZVEIG, H. Moysés. Curso de física básica 1: mecânica. 4.ed. São Paulo: Blucher, 2012. 328p., 24 cm. ISBN 9788521202981.

SERWAY, Raymond A. Física para Cientistas e Engenheiros. : Rio de Janeiro: LTC, 1996. Vol. 1.

Curso de Nivelamento em Matemática Básica – 2014/2

Começa neste sábado, 16/08, a partir das 8h00, o curso de nivelamento em Matemática Básica, ministrado pelo professor Márcio Bittencourt.

A importância deste nivelamento para os alunos que possuem dificuldade em entender a matemática é enorme. Disciplinas como Cálculo Diferencial e Integral, Geometria Analítica e Física vão exigir este conceitos desde o primeiro dia de aula.

Durante 4 sábados, distribuídos ao longo deste segundo semestre de 2014, os alunos poderão rever assuntos como potenciação, radiciação e equações, tão essenciais para o andamento do curso de engenharia civil.

Não perca esta oportunidade. O curso é gratuito e ainda vale como atividade complementar.

Os tópicos que serão abordados no curso são:

16/08/2014
Operações com frações e números decimais
Cálculo do valor de expressões numéricas
Potenciação
Radiciação

20/09/2014
Valor numérico de expressões algébricas
Produtos notáveis
Fatoração
Simplificação

11/10/2014
Operações com expressões algébricas
Equações do 1º grau
Inequações do 1º grau
Sistemas de equações do 1º grau

22/11/2014
Porcentagem
Equações do 2º grau
Inequações do 2º grau
Sinal do trinômio do 2º grau

Faça já sua inscrição através do e-mail: angelaraposa@unibrasil.com.br

Não esqueça de colocar no e-mail seu nome completo, número de matrícula (registro acadêmico) e o nome do curso que você deseja assistir, neste caso, matemática básica.

A UniBrasil ainda oferece nivelamento em Língua Portuguesa e Química.

806CIV – História da Técnica, da Tecnologia e da Indústria I

DISCIPLINA 806CIV

CARGA HORÁRIA: 40h

historia1_1

historia1_2

BIBLIOGRAFIA

Bibliografia básica:

GOMES, Angela de Castro (Coord). Engenheiros e Economistas: novas elites burocráticas. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 1994.

MORAES, José carlos T. B. (Org.) 500 anos de Engenharia no Brasil. São Paulo: EDUSP, 2006.

VARGAS, Milton (Org). História da Técnica e da Tecnologia no Brasil. São Paulo: Ed. UNESP/CEETEPS, 1994.

 Bibliografia complementar:

ADDIS, Bill. Edificação: 3000 anos de projeto, engenharia e construção. Tradução de Alexandre Salvaterra. Porto Alegre: Bookman, 2009. 639 p., il., 24 cm. ISBN 9788577803637.

DINIZ, Eli; BOSCHI, Renato R. A difícil rota do desenvolvimento: empresários e a agenda pós-neoliberal. 1. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2007. 185 p., 22cm. ISBN 9788570416162.

LUZ, Nícia Vilela. A luta pela industrialização do Brasil. 3. ed. São Paulo: Alfa-Omega, 2004. 224 p., 21cm. (Biblioteca Alfa-Omega de Cultura Universal; v. 3. Esta américa). ISBN 8529500431.

MOTOYAMA, Shozo (Org.). Prelúdio para uma história: ciência e tecnologia no Brasil. Colaboração de Marilda Nagamini, Francisco Assis de Queiroz, Milton Vargas. 1. ed. São Paulo: EDUSP, 2004. 518 p., il., 24cm. ISBN 8531407974.

SILVEIRA, Márcio Rogério. Estradas de ferro no Brasil: das primeiras construções às parcerias público-privadas. Rio de Janeiro: Interciência, 2007. 204p., 25 cm. ISBN 9788571931602.

803CIV – Geometria Analítica

DISCIPLINA 803CIV

CARGA HORÁRIA: 80h

GeometriaA_1

GeometriaA_2

 

BIBLIOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CAMARGO, Ivan de; BOULOS, Paulo. Geometria analítica: um tratamento vetorial. 3. ed. São Paulo: Pearson Education, 2012. 543 p., 28cm. ISBN 9788587918918.

STEINBRUCH, Alfredo. Geometria Analítica. 2a ed., São Paulo: McGraw-Hill, 1987.

WINTERLE, P. Vetores e Geometria Analítica. São Paulo: Makron Books, 2006.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CAROLI, Alésio de; CALLIOLI, Carlos A.; FEITOSA, MIGUEL O. Matrizes vetores geometria analítica: teoria e exercícios. 17.ed. São Paulo: Nobel, 1986. 166 p., 25 cm. ISBN 8521304064.

CORRÊA, Paulo Sérgio Quilelli. Álgebra linear e geometria analítica. 1. ed. Rio de Janeiro: Interciência, 2006. 327 p., 25cm. ISBN 8571931283.

DUARTE JÚNIOR, Durval. Matrizes e sistemas algébricos em engenharia. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2008. 280 p., 23cm. ISBN 9788573936452.

JULIANELLI, José Roberto. Cálculo vetorial e geometria analítica. 1. ed. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2008. 295 p., 23cm. ISBN 9788573936698.

LORETO, Ana Célia da Costa; LORETO JUNIOR, Armando Pereira. Vetores e geometria analítica. 3. ed. São Paulo: LCTE, 2011. 183 p., 21cm. ISBN 9788598257044.

801CIV – Cálculo Diferencial e Integral I

DISCIPLINA 801CIV

CARGA HORÁRIA: 80h

EMENTA DA DISCIPLINA

calculo1_1

calculo1_2

BIBLIOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA BÁSICA 

THOMAS, George B. Cálculo. 11ª. Ed., São Paulo: Editora Pearson, 2008, v.1.

LEITHOLD, Louis. O cálculo com geometria analítica. Tradução de Cyro de Carvalho Patarra. 3. ed. São Paulo: Harbra, 1994. v. 1. 683 p., 28cm. ISBN 8529400941.

STEWART, James. Cálculo. Tradução de Helena Maria Ávila de Castro. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2011. v. 1. 535 p., 28cm. ISBN 9788522106608.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR            

BOULOS, Paulo. Cálculo Diferencial e Integral. São Paulo, Pearson Makron Books, 2006, v.1

CASTILHO, Flávio Freitas. Cálculo para cursos de engenharias: uma abordagem computacional. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2011.

HOFFMANN, L. D.; BRADLEY, G. L. Cálculo: um curso moderno e suas aplicações. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

MUNEM, Mustafa A.; FOULIS, David J. Cálculo. Tradução de André Lima Cordeiro et al. 1. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2011. v. 1 e 2.

AYRES JÚNIOR, Frank; MENDELSON, Elliott. Cálculo diferencial e integral. Tradução de Antônio Zumpano. 3. ed. São Paulo: Makron Books, 1994. 704 p., il., 24cm. (Schaum). ISBN 853460200.

sobre Robin Williams, gênios e a derivada

por Adriana Tozzi Pontoni

 

A homenagem para o ator Robin Williams do blog vai em forma de vídeo. Você provavelmente já tenha visto este vídeo na sua timeline hoje.

É do filme Gênio Indomável. Famosa cena com Robin Williams. Ele interpreta o psicólogo que quer ajudar o personagem do Matt Damon (Que é um gênio. Mas indomável (rs)).  Ou Robin Williams era um professor? Teria que dar um google nesta informação porque o filme já é antigo e eu não me lembro. Mas o interessante nesta cena, famosa também pelo banco, e que você pode assistir depois (link ao final), é que ela mostra um momento importante da relação destes dois personagens, que é onde o gênio entende o filosófico “só sei que nada sei”. Cena fantástica.

Entender que há muito a se aprender é um demonstração de que sim, você é inteligente.

Diariamente encontro em alguns alunos uma certa resistência com o aprendizado em sala porque existe a preocupação em demonstrar que se sabe tudo. Porque assistiu uma aula no youtube. Virou especialista em derivada porque entendeu que derivada de x² é 2x.

A busca de muitos pelo diploma de engenheiro é maior do que a busca pelo conhecimento. Significa pagar cinco, seis, sete anos fazendo engenharia e não aproveitar um centavo realmente prestando atenção ou se dedicando ao curso porque passar de ano é mais importante.

Significa abrir mão de entender que a derivada é a ferramenta matemática que permite estudar o movimento. De forma instantânea. A derivada permite que o tempo pare por um instante. Permite enganar a variável independente. E usar a noção absurda de infinito ao seu favor. Neste momento você engana o tal do Chronos.

Significa resumir tudo isso em 2x.

Quem estuda entende como pode ser divertido resolver problemas, sejam eles de natureza teórica ou prática. E passa a se preocupar com o problema do lixo, da água, do clima, do ar. Ainda há tanto a ser descoberto.

Passar de ano é bom. Principalmente quando se paga.

Mas o verdadeiro conhecimento só chega para o indivíduo que se permite assumir que não sabe de nada, que precisa de ajuda, e que aprende a trabalhar com o seu tempo, e como administrar o seu Cronograma de estudo.

 

O ensino superior não é uma corrida. Lembre disso.

Segue o vídeo. #RIPRobinWilliams