Arquivos da categoria: Jornada Acadêmica

OFICINAS EVINCI 2017

Segunda-feira, 23 de outubro de 2017

PROGRAMAÇÃO OFICINAS:

1. Oficina Montagem Steel Frame

Local: Laboratório de Engenharia Civil – Bloco 9

Horário: 19h00 as 22h30

Marcelo Goeten (palestrante)

A chegada do Steel Frame, sistema construtivo sustentável, trouxe mais uma opção para o mercado brasileiro de construção. Não se utilizam tijolos ou cimentos em uma obra feita por meio desse processo. O principal material estrutural é o aço galvanizado, que é 100% reciclável. SAIBA MAIS.

Inscreva-se na oficina

2. Curso básico de modelaria

Local: Modelaria

Horário: 8h00 as 10h00

Nelson Potenciano Marinho

Sobre: Curso básico para apresentar o ferramental necessário para trabalhar com madeira.

Inscreva-se na oficina

3. Oficina Impressora 3D

Local: GPEC – Grupo de Pesquisa em Engenharia Civil – Bloco 9

Horário: 8h00 as 10h00

Mariano Pacholok

Sobre: Oficina para demonstrar como utilizar a Impressora 3D e como desenhar nos softwares disponíveis.

Inscreva-se na oficina

 

Apresentação de Trabalhos

A apresentação de Trabalhos estará dividida em duas etapas:

1 – Casa Experimental

2 – Iniciação Científica

 

Casa experimental

A Casa Experimental é um Grupo de Estudos da Engenharia Civil que te como proposta estudar a viabilidade de construir uma casa sustentável no Campus do UniBrasil.

Para tanto, o Grupo se reúne todas as quartas-feiras no Bloco 9, na sala do GPEC (Grupos de Estudos em Engenharia Civil), as 15h00, e fará uma apresentação sobre estas discussões no dia 20/10/2016 em dois horário:

Manhã – 8h00 – Auditório Bloco 4

Noite – 19h00 – Sala 47 – Bloco 3

Iniciação Científica

O curso possui um projeto de Iniciação Científica, realizado pela aluna Gabriela de Nardi, com o título de:

A implantação do desenvolvimento sustentável nas empresas de Engenharia

 

ORGANIZAÇÃO DA APRESENTAÇÃO

8h00/19h00 – Recepção dos alunos

8h10/19h10 – Início da Apresentação – Coordenadora do curso Adriana Tozzi

8h20/19h20 – Apresentação Equipe Fundações

8h35/19h35 – Apresentação Equipe Cobertura

8h50/19h50 – Apresentação Cisterna

9h05/20h05 – Apresentação paredes sustentáveis

9h20/20h20 – Apresentação A implantação do desenvolvimento sustentável nas empresas de Engenharia

 

Vocabulário: mobiliários

De acordo com a NBR9050, o conjunto de objetos existentes nas vias e nos espaços públicos, superpostos ou adicionados aos elementos de urbanização ou de edificação, são chamados de mobiliários.

São exemplos de mobiliários: semáforos, postes de sinalização e similares, terminais e pontos de acesso coletivo às telecomunicações, fontes de água, lixeiras, toldos, marquises, bancos, quiosques e quaisquer outros de natureza análoga.

Mobiliários em rotas acessíveis, com altura entre 0,60 m até 2,10 m do piso, podem representar riscos para pessoas com deficiências visuais, caso tenham saliências com mais de 0,10 m de profundidade.

Quando da impossibilidade de um mobiliário ser instalado fora da rota acessível, ele deve ser projetado com diferença mínima em valor de reflexão da luz (LRV) de 30 pontos, em relação ao plano de fundo, conforme definido em norma, e ser detectável com bengala longa.

Equipes Jornada Acadêmica 2016/2

Equipe 01 – manhã – ponto de encontro: Sala 99 – Bloco 4

Equipe 02 – manhã – ponto de encontro: Sala 100 – Bloco 4

Equipe 03 – manhã – ponto de encontro: Sala 101 – Bloco 4

Equipe 04 – noite – ponto de encontro: Sala 92 – Bloco 4

Equipe 05 – noite – ponto de encontro: Sala 93 – Bloco 4

Equipe 06 – noite – ponto de encontro: sala 36 – Bloco 03

Equipe 07 – noite – ponto de encontro: Sala 99 – Bloco 4

Equipe 08 – noite – ponto de encontro: Sala 100 – Bloco 4

Equipe 09 – noite – ponto de encontro: Sala 101 – Bloco 4

Equipe 10 – noite – ponto de encontro: Sala 102 – Bloco 4

 

 

Vocabulário: piso tátil

Piso tátil é o piso caracterizado por textura e cor contrastantes em relação ao piso adjacente, destinado a constituir alerta ou linha-guia, servindo de orientação, principalmente, às pessoas com deficiência visual ou baixa visão. São de dois tipos: piso tátil de alerta e piso tátil direcional.

Figura 1

piso1

Figura 2

piso2

Figura 3

piso3

Vocabulário: Calçadas

Calçada é a parte da via, normalmente segregada e em nível diferente, não destinada à circulação de veículos, reservada ao trânsito de pedestres e, quando possível, à implantação de mobiliário, sinalização, vegetação, placas de sinalização e outros fins.

A calçada ideal deve oferecer:

  • Acessibilidade – assegurar a completa mobilidade dos usuários.
  • Largura adequada – deve atender as dimensões mínimas na faixa livre.
  • Fluidez – os pedestres devem conseguir andar a velocidade constante.
  • Continuidade – piso liso e antiderrapante, mesmo quando molhado, quase horizontal, com declividade transversal para escoamento de águas pluviais de não mais de 3%.
  • Não devem existir obstáculos dentro do espaço livre ocupado pelos pedestres.
  • Segurança – não oferece aos pedestres nenhum perigo de queda ou tropeço.
  • Espaço de socialização – deve oferecer espaços de encontro entre as pessoas para a interação social na área pública.
  • Desenho da paisagem – propiciar climas agradáveis que contribuam para o conforto visual do usuário.

Para garantir acessibilidade e segurança nas calçadas, devem-se considerar os seguintes aspectos:

  • Pisos e texturas;
  • Área de circulação livre – passeio;
  • Área de implantação de equipamentos e mobiliários urbanos;
  • Guias rebaixadas para pedestres;
  • Guias rebaixadas para veículos;
  • Sinalização e comunicação.

Artigos indicados:

Acessível: são considerados acessíveis, conforme NBR9050, espaços, mobiliários, equipamentos urbanos, edifcações, transportes, informação e comunicação, inclusive seus sistemas e tecnologias ou elemento que possam ser alcançados, acionados, utilizados e vivenciados por qualquer pessoa.